InVersos: João Moutinho – Mãos


Descascaste o poema
No silêncio das mãos
Foi porcelana nos teus dedos
O barro tosco que te dei
E sei que nunca serei
O corpo…
Onde as mãos repousam
Onde as mãos ousam
Existir…

João Moutinho

Anúncios