InVersos: João Cardoso – Entardecer


Agora
Que a grande noite
Está chegando
Por que nos deixámos
De falar?!

Nas trevas da grande noite
O brilho dos nossos olhos
Não se poderão encontrar
Nossas mãos, nossos rostos,
Não se poderão mais tocar

Nossas vozes serão silêncio.

Por que não aproveitar
O claro do vermelho do entardecer
Que nos resta?

E dizermos tudo aquilo
Que devíamos ter dito.

João Cardoso

Anúncios

InVersos: Lídia Borges – Vê-se daqui


Sobre os telhados
deixam ficar nuvens
e densas poeiras.

A quem falam
quando iluminam as palavras
de tão quebradiça luz?

Falta por ali,
numa ou noutra sílaba, um pássaro
ou uma fonte que cante.

Não dão conta. Falam de um sol
que afunda todas as raízes
na sombra.

Alimentam-na.

Lídia Borges

InVersos: Eloah Westphalen Naschenweng – Palavras


Vem… deixe que as palavras
esfreguem as nódoas,
desembaracem os caminhos
e os labirintos que as margeiam,
para que caibam todos os momentos
que estão no seu coração
como páginas avulsas sempre
em sobreaviso
– reflexos de sombras solitárias.

Conceda-lhes o dom de defesa e do diálogo para senti-las agitarem
dentro em si e varrerem as dúvidas e
os resíduos enraizados e  amaciar
o fardo das memórias.

Não haverá veredictos,
mas sim alívio e muita claridade.
Creia, a realidade pode ser surpreendente.

Eloah Westphalen Naschenweng