InVersos: Maria Fernanda – Olho nos olhos


Olho nos olhos da multidão.
Encontro resquícios…
Há de tudo um pouco.
Há olhos famintos.
Cansados.
Saudosos.
Irados.
Enganados.
Risonhos.
Falsos.
Hipócritas,
Sinceros,
Transbordantes.
Parados.
Inquietos.
Sensatos.
Sonhadores.
Realistas.
Encantados.
Acanhados.
Felinos,
Maldosos.
Sagazes.
Observadores.
Paro neste, creio que há sabedoria ao redor.
Observa, aprende e ensina.
Olha por dentro da vida.
Pisa com cuidado.
Nas entrelinhas,
Que causa delicadeza na menina dos olhos.

Maria Fernanda

Anúncios

InVersos: Telma Estevão – Cavando palavras


E por vezes a alma
Acorda-me dos sonhos
Com uma voz diluída
E os meus dedos de mármore
Escrevem versos vagos e frios.
Por vezes também a mim me comove
A agonia das sílabas e das consoantes
O soluço profundo
Que emana o altar do poema.

E por vezes o que escrevo
Já foi artigo de saudade
Quimera abençoada, claridade proibida
Alma dobrada afogada em sangue quente.

E por vezes existe dentro de mim
Uma tempestade silenciosa
Um sonho ingénuo
Deitado no quente do meu travesseiro
Um misto de oração e feitiço
Cheirando a incenso.

E por vezes meus espasmos de escrita
Contêm versos transparentes…
Límpidos como o orvalho depositado
Na claridade da manhã.

Telma Estêvão