InVersos: Alberto Caeiro – IX – Sou um Guardador de Rebanhos


Sou um guardador de rebanhos.
O rebanho é os meus pensamentos
E os meus pensamentos são todos sensações.
Penso com os olhos e com os ouvidos
E com as mãos e os pés
E com o nariz e a boca.

Pensar uma flor é vê-la e cheirá-la
E comer um fruto é saber-lhe o sentido.

Por isso quando num dia de calor
Me sinto triste de gozá-lo tanto.
E me deito ao comprido na erva,
E fecho os olhos quentes,

Sinto todo o meu corpo deitado na realidade,
Sei a verdade e sou feliz.

Alberto Caeiro

Lido e produzido por Rui Diniz

Efeitos Sonoros:
bdvictor
de freesound.org

Música:
Ray Carl Daye – “Moving the horizon”
Magnatune.com
Creative Commons License

Anúncios

One thought on “InVersos: Alberto Caeiro – IX – Sou um Guardador de Rebanhos

  1. Nair Vieira Rezende diz:

    Lindo este poema de Alberto Caieiro. Metáforas que dão o que pensar

    Liked by 1 person

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s