InVersos: Francisco Gonçalves de Oliveira – As árvores do sonho



Não tenho inveja dos poetas.

Também sei enrolar e desenrolar
as tranças do vento
e plantar no charco do tempo
as árvores do sonho.

Não tenho inveja dos poetas.

Também sei montar e desmontar
o cavalo do silêncio
e descobrir
no arfar das tempestades
um búzio de esperança.

Não tenho inveja dos poetas.

Sei adormecer e acordar
dentro do quotidiano.

Francisco Gonçalves de Oliveira

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s