InVersos: Manuela Barroso – Não me perturbes



Não me perturbes.

Quero reclinar o meu peito no regaço da terra
descer num casulo de luz pairar como a bruma
na urze calada e perfumada da serra.

E não perturbes o meu silêncio
que dorme nas folhas das minhas mãos.

Na criança adormecida em mim
ficam as pegadas na presença dos silêncios,
nos diálogos e gestos escritos na areia polida
das minhas palavras.

E não perturbes o meu silêncio
que dorme nas folhas das minhas mãos.

Não perturbes estas folhas que rodeiam o meu corpo
povoando esta alma de música que ninguém ouve.
Não quero miscelâneas no meu poente.
Quero nascer os olhos em bocas de alegria.
Deixa ser-me criança, vestir de novo esta fantasia.

E não per tur bes o meu son ho.
Quero adormecer a noite enganar a lua
morrer o passado nesta inquietação
desta
chama
nua

Manuela Barroso

Anúncios

9 thoughts on “InVersos: Manuela Barroso – Não me perturbes

  1. Meu caro amigo Rui Dinis,
    Foi uma surpresa enorme receber esta jóia com que enfeitou este meu fim de tarde. Uma voz linda, que me emocionou pela forma tão profissional como é dita e me fez mais feliz enquanto passeei entre as nuvens , com estas imagens maravilhosas.
    Muito obrigada .
    Grande abraço poético!

    Gostar

    • Rui Diniz diz:

      É com grande satisfação que recebemos o seu apreço pelo nosso trabalho que, precisamente, se destina à divulgação da poesia e da sua declamação 🙂

      Muito gratos por isso! Esperamos poder ler um outro poema seu no futuro.

      Gostar

      • Creia que foi dos mais gratos presentes recebidos.
        E divulgo sempre que oportuno o vosso trabalho.O meu obrigada
        sincero. A declamação…é um sonho! Obrigada a toda a equipa. Obrigada a si, Rui Diniz..Sempre!

        Gostar

  2. Teresa Gonçalves diz:

    Os meus sinceros parabéns à autora Manuela Barroso e ao declamador Rui Dinis. Quando a poesia é sentida e declamada com alma a palavra e o sentido tem luz.
    Um aplauso merecido.

    Gostar

  3. Eu é que agradeço o trabalho e profissionalismo do InVersos pela divulgação da poesia.:)
    Quero comentar um poema da poetisa Manuela Carneiro e não consigo.:) Vou tentar amanhã.
    Boa noite e + uma vez parabéns.

    Gostar

  4. Muito lindo Manuela e muito bem dito pelo excelente Rui Dinis!
    Parabéns e um abraço aos dois!

    Gostar

  5. Carmen Dessa diz:

    Querida amiga:
    Este poema é beleza,é sentir, são imagens de uma ternura imensa de rosas brancas no meu jardim.. Parabéns, Manuela.
    E parabéns ao declamador que tão bem sabe sentir o poema.
    Uma pequena nota, a música de fundo, boa música,parece-me demasiado alta e prejudica o declamador e as palavras, demasiado doces para se perderem.

    Gostar

  6. Carmen, querida amiga e colega:
    Obrigada pelas tuas palavras, pois sei muito bem o quanto elas representam, sendo tu exigente e rigorosa no que sentes e exprimes. Direi sempre que, se as palavras tiverem força, é a que o declamador, Rui Diniz, lhes imprimiu. Estou-lhe imensamente grata!
    Tens razão: o video é belo, adequado. Isso o agradeço à Ana Ferreira.
    Quanto á música também ela linda, talvez por estar mais focalizada na VOZ, até a música, se estiver mais alta, me passa despercebida. Mas agradeço a apreciação de quem tem
    sempre bom gosto em tudo o que faz. E contida naquilo que diz. Por isso, o meu obrigada, Carmen.
    Beijinho!

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s